Recomendações teóricas e práticas para o ensino da catalogação no Brasil

Recomendações teóricas e práticas para o ensino da catalogação no Brasil

A revista Encontros Bibli publicou em seu volume 21, número 46 o artigo Recomendações teóricas e práticas para o ensino da catalogação no Brasil, de autoria de Fabiano Ferreira de Castro, Aline Rodrigues de Souza Sales e Ana Carolina Simionato.

O processo de identificação de elementos descritivos para que diversos tipos de recursos informacionais fossem localizados e acessados, surgiu antes do ensino da mesma. O ensino da Catalogação, nos cursos de bacharelado em Biblioteconomia nas instituições brasileiras é o tema dessa pesquisa. Que teve como objetivo analisar os currículos disponibilizados online pelas universidades que oferecem o curso de Biblioteconomia, com o intuito de verificar o panorama atual da Catalogação, de forma estrutural. Configura-se como objeto de estudo os currículos disponibilizados online dos cursos de Biblioteconomia das universidades públicas e privadas no Brasil. Foi realizada uma pesquisa documental no site do Cadastro da Educação Superior (e-MEC) para fazer o levantamento das universidades que oferecem o curso de Biblioteconomia no âmbito público e privado e nos sites dos cursos de Biblioteconomia dessas universidades, visando observar a grade curricular disponível, com o intuito de identificar as disciplinas relacionadas à Catalogação, bem como analisar a carga horária disponível para o ensino, entre as ementas, o conteúdo programático e a bibliografia básica, sobretudo, com os impactos que a Catalogação tem sofrido nos últimos dez anos, com o uso intensivo das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). A partir dos resultados ficou evidente que a disciplina de Catalogação está presente em todos os currículos dos cursos de Biblioteconomia do Brasil, com terminologias distintas em cada instituição, e que a carga horária disponibilizada pelas instituições para o ensino da Catalogação é mínima, geralmente 120 horas. Conclui-se que a formação dos catalogadores nas universidades do Brasil, passa por um momento de mudança em decorrência dos avanços das TIC na Catalogação. Dessa forma, recomenda-se que as escolas de Biblioteconomia reavaliem o ensino da Catalogação, sobremaneira a carga horária disponibilizada ao alcance dos novos conteúdos e sua aplicação nos ambientes informacionais digitais, contemporaneamente, e na prática do bibliotecário no mercado de trabalho.

O artigo completo está disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/42192

Receba os novos posts por e-mail

Autor: Fabrício Assumpção

Bacharel em Biblioteconomia. Doutorando em Ciência da Informação na UNESP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *