Políticas de catalogação

Na próxima terça-feira, 30 de junho, às 15h, ocorrerá mais uma apresentação online promovida pelo Grupo de Trabalho em Catalogação (GT-CAT) da FEBAB. Essa apresentação terá como tema as políticas de catalogação e contará com a presença de Enderson Medeiros (UFG), Erica Cristina de Carvalho Mansur (UNICAMP) e Janaína Fialho (UFS).

A apresentação será transmita pelo (e ficará gravada no) canal da FEBAB no YouTube:

Web Semântica: conceitos e tecnologias

Nesta quinta-feira, 18/06, às 15h, ocorrerá a palestra online “Web Semântica: conceitos e tecnologias” com o professor José Eduardo Santarém Segundo, da Universidade de São Paulo (USP). A palestra será transmitida pelo canal do software SophiA no YouTube.

Aproveite para rever a última palestra sobre o RDA, realizada pela Liliana Giusti Serra, também no canal do SophiA:

Catalogação em tempos de pandemia

Na tarde de hoje, 2 de junho de 2020, às 17h, ocorrerá a webinar “Catalogação em tempos de pandemia: a prática catalogadora sob a perspectiva de diferentes realidades”, promovida pelo Grupo de Trabalho em Catalogação da FEBAB.

Participarão da webinar: Denise Mancera Salgado (Tribunal de Contas do Município de São Paulo), Marcelly Chrisostimo (Mocinha da Biblio), Rafaela Araújo (Universidade Federal do Ceará) e Raquel Oliveira (Sistema Municipal de Bibliotecas de São Paulo).

A webinar será transmitida pelo (e ficará gravada no) canal da FEBAB no YouTube.

O que são e para que servem os Princípios Internacionais de Catalogação?

No próximo dia 25 de maio, às 15h, acontecerá a palestra online “O que são e para que servem os Princípios Internacionais de Catalogação?“, apresentada pela bibliotecária Gerlaine Braga. A palestra é uma ação promovida pelo Grupo de Trabalho em Catalogação da FEBAB e será transmitida pelo (e ficará gravada no) canal da FEBAB no YouTube.

Gerlaine mantém a página @catalogacao no Instagram, em que compartilha dicas e conteúdos relacionados à catalogação. Vale a pela seguir!

Ver essa foto no Instagram

Prazer, me chamo Gerlaine! . – Minha história com a catalogação começa quando fui estagiária no processamento técnico da Divisão de Bibliotecas (DBD) da PUC-Rio 🙂 Lá pude conhecer bibliotecários incríveis que tinham prazer em trabalhar somente com catalogação e classificação, como o @cristovaorio por exemplo. Estava ainda no início do curso de Biblioteconomia, há uns 8 anos atrás 🙈 quando tive essa oportunidade. – Também estava no começo das 3 disciplinas obrigatórias de RD na Unirio (que tive o prazer de aprender com a professora Naira Silveira @naira_c_silveira ), ou seja, ainda não sabia o que estava por vir… Mas as coisas começaram a fazer mais sentido no estágio, onde pude ter contato com a prática usando um software que na época a interface era MARC puro… Rsrs. Claro que os manuais da DBD facilitavam a nossa vida! . – Por isso, amigos que ainda estão cursando biblio, não desistam, há luz no fim do túnel! Tudo que vc aprende na teoria de Catalogação se aplicará e fará mais sentido na prática! . – Depois veio outro estágio… no IBGE, onde trabalhei, advinha com o quê?! Também com Catalogação 😁 . – O gosto pela área foi tanto que acabei sendo bolsista de iniciação científica e monitora de RD. O estudo constante foi se aprofundando para o meu TCC, e hoje, para o Mestrado… . – Essa é a minha história com a área, qual é a sua? . – #tcc #representaçãodescritiva #catalogação

Uma publicação compartilhada por Catalogação (@catalogacao) em

Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?

Nesta segunda-feira, 27 de abril de 2020, às 15h, realizarei uma apresentação online intitulada “Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?”. A apresentação é uma realização do Grupo de Trabalho em Catalogação da FEBAB, será transmitida pelo e ficará disponível no canal da FEBAB no YouTube.

O objetivo da minha fala é apresentar alguns pontos que considero importante para a discussão e o desenvolvimento das atividades de catalogação no cenário atual, pontos estes que vão além do conhecimento dos instrumentos “tradicionais” como o AACR2 e os Formatos MARC 21, e incluem o acompanhamento dos instrumentos emergentes (RDA, BIBFRAME, etc.) e a incorporação de novos conceitos (LRM, URIs, Linked Data, etc.).


Receba os novos posts por e-mail