RDA aplicado em teses e dissertações em literatura e cinema

Análise do padrão RDA: um estudo aplicado em teses e dissertações em literatura e cinema

A Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação (RDBCI) publicou em seu volume 15, número 1, de 2017, o artigo Análise do padrão RDA: um estudo aplicado em teses e dissertações em literatura e cinema de autoria de Raquel Bernadete Machado e Ana Maria Pereira.

O Resource Description and Access (RDA) é a nova diretriz para a catalogação desenvolvida para substituir o Código de Catalogação Anglo-Americano, segunda edição (AACR2), com a finalidade de melhorar a recuperação da informação. Nesse sentido, a presente pesquisa objetiva analisar como os registros bibliográficos de teses e dissertações das áreas de literatura e cinema serão modificados com os padrões do código RDA. A pesquisa caracteriza-se como qualitativa aplicada de caráter exploratório e descritivo, e utiliza como método o estudo de caso. Os resultados do estudo apontaram que a descrição bibliográfica apresenta modificações significativas correspondentes ao formato, conteúdo e mídia de um recurso. Com base na análise dos registros e dos resultados obtidos, pode-se concluir que o catalogador precisa despender mais atenção, conhecimento e tempo na sua prática, o que sugere a esse profissional a necessidade de educação continuada.

O artigo está disponível em: http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8645396

Receba os novos posts por e-mail

Relações bibliográficas de conteúdo na descrição e acesso de recursos

Relações bibliográficas de conteúdo na descrição e acesso de recursos
Fonte: https://www.loc.gov/catdir/cpso/o-que-e-frbr.pdf

Os anais do XVII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB), que ocorreu em Salvador de 20 a 25 de novembro de 2016, já foram publicados. Esse ano o evento contou com a apresentação de diversos trabalhos relacionados à catalogação, entre eles Relações bibliográficas de conteúdo na descrição e acesso de recursos, de autoria de Raquel Bernadete Machado e Ana Maria Pereira.

Em geral, os catálogos apresentam os dados descritivos, predominantemente, sob os aspectos físicos de um documento. O conteúdo das obras é especificado atribuindo alguns descritores de assunto. Por outro lado, é possível identificar que certos tipos de obras, como as traduções e as adaptações de outras obras, apresentam interligações que não são visíveis na apresentação no catálogo. O presente artigo analisou como ocorrem as relações bibliográficas de conteúdo na descrição e no acesso de recursos no catálogo de uma biblioteca universitária. Utilizou-se de uma breve pesquisa bibliográfica e analisaram-se cinco registros bibliográficos com a finalidade de identificar as relações bibliográficas de conteúdo e apresentar a descrição e o acesso dos recursos informacionais dessas obras. Os relacionamentos apontados na amostra deste artigo mostram que ocorreram relações bibliográficas de conteúdo dos tipos descritivo e derivativo. É possível inferir que um catálogo construído nos moldes dos modelos conceituais possibilita melhorias na recuperação da informação, pois amplia o acesso a outros recursos.

O trabalho está disponível em: http://www.ufpb.br/evento/lti/ocs/index.php/enancib2016/enancib2016/paper/view/3682

Artigos da Cataloging & Classification Quarterly disponíveis gratuitamente

Artigos da Cataloging & Classification Quarterly disponíveis gratuitamente

A revista Cataloging & Classification Quarterly, um dos periódicos mais especializados sobre catalogação, disponibiliza gratuitamente até 31 de dezembro de 2016 12 artigos recomendados por sua editora, Sandra K. Roe. Para acessar os artigos, acesse a página explore.tandfonline.com/content/bes/ccq-freeaccess16

  • From Record Management to Data Management: RDA and New Application Models BIBFRAME, RIMMF, and OliSuite/WeCat (Mauro Guerrini & Tiziana Possemato)
  • MARC Reborn: Migrating MARC Fixed Field Metadata into the Variable Fields (Steven Bernstein)
  • A Comparison of Recorded Authority Data Elements and the RDA Framework in Chinese Character Cultures (Maiko Kimura)
  • Attitudes among German- and English-Speaking Librarians toward (Automatic) Subject Indexing (Alice Keller)
  • The Value of a Library Catalog for Selecting Children’s Picture Books (Katarina Švab & Maja Žumer)
  • Chronology in Cataloging Chinese Archaeological Reports: An Investigation of Cultural Bias in the Library of Congress Classification (Junli Diao & Haiyun Cao)
  • An Examination of the Practical and Ethical Issues Surrounding False Memoirs in Cataloging Practice (Karen Snow)
  • Popular Music in FRBR and RDA: Toward User-Friendly and Cataloger-Friendly Identification of Works (Kevin Kishimoto & Tracey Snyder)
  • The Definition of the Work Entity for Pieces of Recorded Sound (Christopher Holden)
  • When Good Enough Is Not Good Enough: Resolving Cataloging Issues for High Density Storage (Mary S. Laskowski)
  • The Rare Books Catalog and the Scholarly Database (Anne Welsh)
  • Nunavut Libraries Online Establish Inuit Language Bibliographic Cataloging Standards: Promoting Indigenous Language Using a Commercial ILS (Carol Rigby)

Receba os novos posts por e-mail

Implantação do RDA na PUCRS

Implantação do RDA na PUCRS

Na tarde de hoje, 20 de julho de 2016, o Marcelo Votto Texeira, bibliotecário na PUCRS, informou ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Catalogação (GEPCAT) sobre a implantação do RDA na Biblioteca Central da PUCRS, em Porto Alegre:

Prezados,

Venho através deste e-mail comunicar que a Biblioteca Central da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS finalizou o processo de implantação do código de catalogação Resource, Description and Access – RDA em seu catálogo bibliográfico e de autoridades.

Assim, a partir do retorno obtido junto ao RDA Steering Committee  – RSC, comunico aos catalogadores desta lista que todos os registros bibliográficos e de autoridades gerados a partir de 01 de junho pelo Setor de Tratamento da Informação da Biblioteca Central Ir. José Otão estão de acordo com as orientações do RDA.

A implantação do RDA em nosso catálogo deu-se através de um processo iniciado em novembro de 2015 e que ao longo dos meses avançou nos ajustes necessários, conforme as áreas de descrição apontadas pela edição consolidada da ISBD (2011).

A equipe que alavancou o projeto é composta pelos seguintes bibliotecários:

  • Clarissa Jesinska Selbach – Setor de Tratamento da Informação
  • Loiva Duarte Novak – Setor de Tratamento da Informação
  • Marcelo Votto Texeira – Coordenação do Setor de Tratamento da Informação
  • Michelângelo Mazzardo Marques Viana  – Coordenação de Sistemas
  • Ramon Ely – Setor de Tratamento da Informação
  • Salete Maria Sartori – Setor de Tratamento da Informação
  • Roberto Bertolo Moura – Setor de Suporte e Desenvolvimento

Em anexo a este e-mail encaminho alguns exemplos de registros em MARC21. Não são todos, pois pretendemos apresentar a sistemática para implantação futuramente em eventos da área. Todavia, é possível pesquisar em nosso catálogo, no site biblioteca.pucrs.br.

No mais, desde já, fico mais do que a disposição daqueles que quiserem conversar sobre o assunto.

Abraço.

Atenciosamente,

Marcelo Votto Texeira
Bibliotecário Sênior
Coordenador do Setor de Tratamento da Informação
Biblioteca Central Irmão José Otão
marcelo.texeira@pucrs.br | biblioteca.catalogacao@pucrs.br
www.pucrs.br/biblioteca

O Marcelo comunicou sobre a implantação também no grupo Catalogação e Metadados, no Facebook, e incluiu um arquivo com exemplos de registros criados com o RDA.

Parabenizo o Marcelo e toda equipe da PUCRS por esse importante trabalho que, certamente, servirá de modelo para outras bibliotecas brasileiras!

O RDA sob a perspectiva das tarefas do usuário

O RDA sob a perspectiva das tarefas do usuário

A Revista Ibero-americana de Ciência da Informação (RICI) publicou em seu volume 9, número 2, o artigo O novo padrão RDA sob a perspectiva das tarefas do usuário, de autoria de Raquel Bernadete Machado e Ana Maria Pereira.

O Resource Descripton and Access (RDA) configura-se atualmente como a nova diretriz para a catalogação de recursos informacionais. As atividades relacionadas à elaboração de um catálogo necessitam considerar, primordialmente, as tarefas que o usuário cumprirá na busca da informação. O modelo conceitual denominado Functional Requirements for Bibliographic Records (FRBR) arrola quatro tarefas básicas do usuário: encontrar, identificar, selecionar e obter. Assim, o objetivo deste artigo é analisar como a aplicação das novas diretrizes de catalogação RDA poderá contribuir para auxiliar na realização de tais tarefas. Com base na revisão de literatura, são apresentadas algumas considerações acerca do código RDA sob a perspectiva das tarefas do usuário. Conclui-se que a navegabilidade é a principal característica que um catálogo precisa apresentar ao usuário, desde que sejam desenvolvidos sistemas de gerenciamento de acervo mais robustos que os atualmente em uso adaptados às inovações propostas pelo RDA e pelos modelos conceituais.

O artigo completo está disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/15910

Confira outros artigos na Bibliografia Brasileira sobre RDA.

Créditos da imagem: Biblioteca Centro Lincoln.

Receba os novos posts por e-mail