Questões de concurso #1: RDA

Questões de concurso #1: RDA

Apesar de pouco explorado na prática brasileira e ensinado apenas de forma teórica em algumas escolas de Biblioteconomia do Brasil, o RDA tem figurado entre os temas cobrados em concursos já faz alguns anos.

De modo geral, algumas questões sobre o RDA são bem superficiais, exigindo apenas o conhecimento raso de algumas “siglas”, enquanto outras exigem um conhecimento um pouco mais profundo. Selecionei algumas questões para comentar aqui no blog, iniciando, com elas, uma nova categoria de posts: Questões de concurso.

Antes de seguir para as questões, não se esqueça de se cadastrar para receber os novos posts por e-mail. 😉

A resposta é “RDA”

(UNESP, 2011) A nova norma de catalogação que surge para substituir as AACR denomina-se

(A) RDA.
(B) FRBR.
(C) ISBD.
(D) IFLA.
(E) Dublin Core.

FRBR é um modelo, não uma norma. ISBD é uma norma que existe há muito tempo, então não é nova. IFLA é um órgão, não uma norma. Dublin Core é um padrão de metadados. Sobrou apenas nosso jovenzinho RDA! Resposta: “A”.

(UNESP, 2012) A proposta de revisão do AACR2, de 2005, resultou no projeto de desenvolvimento do

(A) AACR2 revisão 2007.
(B) AACR3.
(C) FBBR.
(D) FRAD/CAD.
(E) RDA.

O RDA surgiu a partir da proposta de revisão do AACR2r. Até 2005, o novo código chamaria AACR3; em 2005 o nome foi alterado para RDA; em 2007 o RDA passou a ter em sua base o modelo FRBR. FBBR está errado, o correto é FRBR, que é um modelo. FRAD também é um modelo. CAD eu não faço ideia do que seja! Resposta: “E”.

(Cepel, 2014) Qual alternativa consiste em um novo padrão de descrição bibliográfica para recurso e acesso desenvolvido para o meio digital, cobrindo todos os tipos de mídias:

(A) AACR
(B) ISBD
(C) DC
(D) RDA
(E) MARC

AACR e ISBD não são novos. Dublin Core (DC) e MARC são padrões/formatos de metadados. Resposta: D. Confira a análise completa desta prova no blog Santa Biblioteconomia.

(IFPE, 2016) A utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) permite a disseminação da produção de informação com maior rapidez e em grande quantidade, dificultando sua organização e recuperação. Objetivando solucionar este problema, foi desenvolvido um código de catalogação que trata de elementos chave para compor os novos modelos em ambiente de informação digital. Este código é o (a)

(A) NBR
(B) AACR2
(C) RDA
(D) MARC 21
(E) USMARC

A sigla NBR, que significa norma brasileira, aparece nas normas da ABNT. AACR2 é um código de catalogação, porém não é novo. MARC 21 e USMARC são formatos para o intercâmbio de dados. MARC 21, inclusive, é o nome adotado para denominar o formato resultante da harmonização dos formatos dos EUA (USMARC) e do Canadá (CAN/MARC) em 1998. Resposta: C.

(Concurso: UFSC, 2014) A tradução CORRETA para RDA é:

(A) Recursos de Acesso.
(B) Redes de Acesso.
(C) Recursos: Descrição e Acesso.
(D) Recursos: Descrição e Acervo.
(E) Redes de Acervo.

Ainda não temos uma tradução brasileira oficial do título do RDA, menos ainda do RDA, mas as alternativas erradas estão muito erradas, então é fácil responder. Resposta: C

RDA: substituto do AACR2

O RDA é um código de catalogação, por mais que essa expressão não conste na “documentação oficial”. O AACR2 também é um código de catalogação. Um código de catalogação só pode ser substituído por outro código de catalogação. Um código de catalogação não pode substituir um formato para o intercâmbio de dados ou um modelo conceitual.

(São Paulo. Secretaria de Estado da Educação, 2013) A RDA (Recursos: Descrição e Acesso) é a nova norma para substituir:

(A) ISO 704 (Norma Internacional de Terminologia).
(B) FRAD (Requisitos Funcionais para Dados de Autoridade).
(C) FRBR (Requisitos Funcionais para Registros Bibliográficos).
(D) AACR2 (Código de Catalogação Anglo-Americano 2).
(E) ISBD (Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada).

Resposta: D.

(UTFPR, 2014) O RDA (Resource Description and Access) [Recurso: Descrição e Acesso] foi desenvolvido com o intuito de:

(A) substituir o formato MARC21.
(B) substituir o AACR2.
(C) substituir o MARC21 e o AACR2.
(D) ser usado junto com o MARC21 e o AACR2, mas apenas para a descrição de recursos de acesso eletrônico.
(E) ser usado junto com o MARC21 e o AACR2, para a catalogação de recursos em suporte impresso.

Resposta: B.

Algumas das características do RDA

Essas questões já exigem um pouco mais de conhecimento sobre o RDA:

(UFSC, 2014) Considere as seguintes afirmações sobre RDA:
I) As AACR e a RDA compartilham a mesma estrutura e governança.
II) A RDA foi construída, intencionalmente, sobre os alicerces das AACR.
III) Muitas instruções RDA derivam das AACR2.
IV) A RDA nasceu de uma tentativa inicial de fazer uma revisão radical das AACR.
V) Os dados RDA não poderão ser codificados com a mesma norma MARC 21 usada para registros AACR2.

Estão CORRETAS as afirmações:

(A) apenas I, II, III e V.
(B) apenas I, II, III e IV.
(C) apenas II, III, IV e V.
(D) I, II, III, IV e V.
(E) apenas I, III, IV e V.

As afirmações II, III e IV estão corretas: por ser o substituto do AACR2, o RDA está construído sobre os alicerces de seu antecessor e muitas de suas regras foram criadas a partir das regras do AACR2. A afirmação V está errada, pois o RDA pode sim ser utilizado com os Formatos MARC 21.

A afirmação I pode causar dúvidas: a responsabilidade inicial pelo desenvolvimento do RDA esteve nas mãos dos mesmos responsáveis pelo AACR2, portanto, os dois códigos possuíam a mesma governança. “Estrutura” é uma palavra tão ampla que pode ser utilizada para se referir a muitas coisas do RDA: estrutura administrativa, estrutura das seções, capítulos, elementos, regras, estrutura (modelo) conceitual que serve de base para o RDA, etc. Com isso, a afirmação I está “meio correta”. Mas, mesmo com a dúvida em relação à afirmação I, já é possível chegar a resposta correta (segundo o gabarito): a alternativa B.

(São Paulo. Secretaria de Estado da Educação, 2013) A RDA (Recursos: Descrição e Acesso) propõe um conjunto de diretrizes e instruções sobre a formulação de dados que sirvam de apoio ao descobrimento de recursos por parte do usuário. Cada instrução da RDA reporta-se ao usuário e às tarefas que ele deseja executar, tanto para usar dados bibliográficos quanto para usar dados de autoridade. No que tange às tarefas para o uso de dados bibliográficos, são elas, na ordem em que devem ser realizadas: encontrar,

(A) identificar, contextualizar e justificar.
(B) compreender, identificar e obter.
(C) contextualizar, selecionar e explorar.
(D) selecionar, identificar e explorar.
(E) identificar, selecionar e obter.

Essa é uma questão mais sobre FRBR do que sobre RDA. É importante conhecermos as tarefas dos usuários dos modelos conceituais:

  • FRBR (registros bibliográficos): encontrar, identificar, selecionar, obter (ou adquirir);
  • FRAD (dados/registros de autoridade): encontrar, identificar, contextualizar, justificar;
  • FRSAD (dados/registros de autoridade de assunto): encontrar, identificar, selecionar, explorar.

Resposta: E.

(São Paulo. Secretaria de Estado da Educação, 2013) Os modelos conceituais que fornecem estrutura subjacente e dão forma a RDA (Recursos: Descrição e Acesso) são:

(A) FRBR e FRAD.
(B) FRBR e ISBD.
(C) ISBD-NBM e FRBR.
(D) ISBD e ISBD-NBM.
(E) FRAD e ISBD.

ISBD não é um modelo conceitual, é uma norma para a descrição bibliográfica. FRBR e FRAD são modelos conceituais. Resposta: A.

(UTFPR, 2016) No RDA (Resource Description Access) foram introduzidos três elementos que substituem a Designação Geral de Materiais (DGM), que é registrada no subcampo h do campo 245, de acordo com o Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos. Assinale a alternativa que indica quais são estes campos.

(A) 301, 302, 303
(B) 312, 313, 314
(C) 316, 317, 318
(D) 321, 322, 323
(E) 336, 337, 338

A DGM do AACR2 foi substituída, no RDA, por três elementos:

  • tipo de conteúdo (content type): campo 336
  • tipo de mídia (media type): campo 337
  • tipo de suporte (carrier type): campo 338

A criação destes campos no Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos é apenas uma das alterações realizadas nos Formatos MARC 21 para a melhor acomodação dos dados registrados com o RDA. Confira todas as alterações nesta página. Resposta: E

(UFMG, 2013) A normalização é um processo essencial na direção do controle bibliográfico universal. Em relação à RDA, as afirmativas abaixo estão corretas, EXCETO.

(A) A RDA introduz novos elementos descritivos, novas abordagens da descrição do suporte e do conteúdo e novas formas para melhorar o acesso.
(B) A RDA aperfeiçoa e tem como base diversas normas para descrição de recursos.
(C) A RDA é um modelo conceitual resultante do estudo realizado por um grupo de estudo da IFLA entre os anos de 1992 e 1997.
(D) Os Princípios de Paris foram fundamentais para a padronização da descrição bibliográfica no âmbito internacional durante a década de 1970.

O RDA não é um modelo conceitual! Os modelos conceituais são: FRBR, FRAD e FRSAD. A revisão do AACR2 começou a ser discutida a partir de 1997, mas os trabalhos de revisão foram iniciados em 2004. O período de 1992 e 1997 refere-se à criação do FRBR. Resposta: C. Confira a análise completa desta prova no blog Santa Biblioteconomia.

Para aprender um pouco mais sobre o RDA, aproveite essa seleção de vídeos do YouTube que tratam deste tema.

Autor: Fabrício Assumpção

Bacharel em Biblioteconomia. Doutorando em Ciência da Informação na UNESP.

6 pensamentos em “Questões de concurso #1: RDA”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *