Scan for MARC: conversão de fichas para MARC 21

Scan for marc: conversão de registros em fichas para o Formato MARC21 Bibliográfico

A Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação (RBBD) publicou um número especial em seu volume 11 com artigos resultantes de trabalhos selecionados do XXVI CBBD, realizado em São Paulo em 2015, entre eles o artigo Scan for MARC: conversão de registros em fichas para o Formato MARC21 Bibliográfico, de autoria de Zaira Regina Zafalon, Plácida L. V. A. da C. Santos, Ana Maria Pereira e Jairo da Silva.

Aborda conversão de registros bibliográficos a ser usado por instituições que não disponibilizam a totalidade de dados de seus acervos em catálogos online de acesso público. Apesar da possibilidade de recorrerem a processos de conversão retrospectiva de registros bibliográficos para saldar tal lacuna, trabalhos técnicos tornam-se necessários, tais como adequação de pontos de acesso de assunto, de notas e outras informações locais nos quais incorrem correção, supressão de campos, modificação de conteúdo e acréscimo de informações locais. Apresenta-se a conversão retrospectiva de dados bibliográficos a partir do processamento de imagens, que considera o aproveitamento integral do registro bibliográfico da própria instituição (dados bibliográficos, pontos de acesso e dados de localização, já definidos nos registros analógicos). Propõe-se como objetivo principal apresentar o Scan for MARC, um interpretador computacional de acesso web para conversão de dados bibliográficos analógicos para o Formato MARC21 Bibliográfico. Recorre-se à abordagem qualitativa, com caráter exploratório e descritivo, e à pesquisa bibliográfica. Os resultados apresentam contribuições no plano científico, diante do desenvolvimento de aspectos sintáticos e semânticos de registros bibliográficos; no plano tecnológico, dado o desenvolvimento do Scan for MARC como produto para a melhoria de processos de conversão de dados bibliográficos analógicos; no plano social, inerente ao compartilhamento de registros e às suas metodologias, à ampliação do acesso aos metadados e à interoperabilidade entre sistemas gerenciadores de bibliotecas, fatores que contribuem para a discussão e socialização do conhecimento científico/tecnológico.

O artigo completo está disponível em https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/545

Receba os novos posts por e-mail

Autor: Fabrício Assumpção

Bacharel em Biblioteconomia. Doutorando em Ciência da Informação na UNESP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *