Políticas de catalogação

Políticas para representação descritiva: ponderações para discussão
MANLEY, Will. The truth about catalogers. Jefferson: McFarland & Company, 1995. Illustrations by Richard Lee. p. 44.

A Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação (RBBD) publicou um número especial em seu volume 11 com artigos resultantes de trabalhos selecionados do XXVI CBBD, realizado em São Paulo em 2015, entre eles o artigo Políticas para representação descritiva: ponderações para discussão, de autoria de Brisa Pozzi de Sousa.

Aborda a necessidade de discutir a fundamentação sobre a temática Política de Representação Descritiva. A metodologia consiste na forma exploratória que cubra a referida temática e os resultados demostram reduzido número de publicações sobre o assunto. A área de Catalogação, ao estar atrelada aos instrumentos adotados em bibliotecas, delimita-se na prática do fazer e, comumente, na execução das normas de catalogação. Uma nova dimensão precisa ser assumida e o desafio consiste em alinhar as segmentações e generalizações do processo empírico aos aportes teóricos.

O artigo completo está disponível em https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/508

Receba os novos posts por e-mail

Autor: Fabrício Assumpção

Bacharel em Biblioteconomia. Doutorando em Ciência da Informação na UNESP.

2 pensamentos em “Políticas de catalogação”

  1. Saudações estamos implementando um sistema de geração de fichas catalográficas, não habilitamos as opções Cutter e CDD/CDU por entendermos que o usuário não tem condições de definir isso, mantivemos também o vocabulário livre, qual a sua opinião a respeito disso? Você conhece algum trabalho que trate dessa questão.
    Grata
    Jamilli Quaresma
    Bibliotecária UFBA

    1. Olá Jamilli!
      O ideal seria deixar a ficha da melhor forma com o menor esforço. Para isso, vocês podem tentar implantar um preenchimento automático do Cutter. Para a CDD/CDU, vocês podem pensar em usar uma notação simples, com apenas 3 ou 4 dígitos, exibindo para o usuário apenas o assunto (e não o número).
      Você pode tentar contato com outras universidades para ver como estão lidando com essas questões. Alguns exemplos:
      http://www.biblioteca.ufc.br/servicos-e-produtos/1137-elaboracao-de-ficha-catalografica
      http://www.bce.unb.br/ficha/
      http://sabi.ufrgs.br/servicos/publicoBC/ficha.php
      http://fichacatalografica.sibi.ufrj.br/
      http://www.ucs.br/site/ficha-catalografica/ficha/
      http://paginas.cav.udesc.br/fichacatalografica/

      Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *